Arquivo

junho #01

maio #23

Busca no site

 

Centro Cultural Correios

Visconde de Itaboraí, 20 | Centro
Rio de Janeiro, RJ
21 2253.1580

De terça a domingo, das 12h às 19h
Até 30/7

 

 

 

pan 2007

A arte e o esporte jogam unidos na 4ª edição da exposição A Cara do Rio, que o Centro Cultural Correios inaugurou dia 12 de junho. Nesta etapa a mostra se inspirou nos Jogos Pan-americanos, e os 76 artistas que compõem A Cara do Rio vão expor suas visões particulares e criativas acerca do evento esportivo que promete mexer com o Rio de Janeiro, assim como também outros campos de percepções sobre a cidade.

Uma pergunta do curador da mostra, o artista plástico Marcelo Frazão, é o fio condutor que percorre a exposição: “Quantos tijolos são necessários para construir uma cidade?”.

Completando seu raciocínio, Marcelo afirma que “na competição esporte X cidade os ícones fixados na memória e na paisagem, levam o ouro. Tudo é transformado em memória – imediata e registro: Corcovado e Pão-de-açúcar, a orla e a Bossa Nova, as balas perdidas e o futuro. Símbolos envoltos nas más e boas notícias que não cessam. Cidades e memória não são mais que sucessivos tijolos empilhados tendo o tempo, o relato e suas cores como a verdadeira argamassa que resiste e aglutina”.

Integram a equipe da Cara do Rio no Pan 2007 autores como: Aloysio Novis, Paulo Villela, Umberto França, Marcelo Frazão, Ricardo Newton, Mauricio Barbato, e Isis Braga, entre muitos outros, que produziram pinturas, esculturas, instalações, fotografias, gravuras, arte digital e desenhos, utilizando diferentes formatos.

 

pan2007 pan 2007 pan 2007

 

Comente esta matéria

Galeria Gravura Brasileira

R. Fradique Coutinho, 953
V. Madalena | São Paulo, SP
11 3097.0301

De segunda a sexta, das 10h às 18h
Sábados, das 11h às 14h
Até 28/7

Gravura do Pará

A exposição “GRAVURA DO PARÁ” esta exibindo obras dos sete artistas paraenses: Alexandre Sequeira, Elaine Arruda, Jean Ribeiro, Júnior Tutyia, Jocatos, Pablo Mufarrej e Ronaldo Moraes Rego, com curadoria de Armando Sobral.

Armando vem desenvolvendo um trabalho excepcional em torno da gravura no Estado do Pará junto à Universidade da Amazônia descobrindo talentos locais, organizando palestras, workshops e exposições com artistas de todo o Brasil. Para esta exposição selecionou jovens talentos cujas poéticas trabalham a gravura de forma contemporânea utilizando impressão digital, xilogravura e metal.

Galeria Gravura Brasileira

Trabalhando em conjunto desde 1987 no escritório de engenharia e arquitetura Canto Projetos e Construções, Alberto Fuks e Eduardo Besen decidiram em 1998 fundar a galeria Gravura Brasileira com a proposta de mostrar a gravura histórica e contemporânea em toda a sua diversidade e qualidade com exposições temporárias e obras de acervo.

Ao longo dos anos, a galeria Gravura Brasileira tornou-se um centro de referência no país, promovendo exposições de artistas jovens e consagrados, palestras e lançamentos de livros e álbuns de gravuras, além de intercâmbio com ateliês e instituições e participações em feiras internacionais de arte.

Em março de 2003, foi inaugurado o novo espaço da galeria à rua Fradique Coutinho, que conta com um acervo de mais de quatro mil gravuras originais de artistas de todo o Brasil, Argentina, Canadá, Itália, Cuba, Japão e Inglaterra.

Comente esta matéria

Paulo Pinto

FESTIMAGE

www.festimage.org

Repórter-Fotográfico na Final do Festimage

Fonte: O Estado de São Paulo

O repórter-fotográfico do Grupo Estado Paulo Pinto está entre os 50 finalistas do concurso de fotografia e arte digital do Festimage - Festival Internacional da Imagem, evento promovido pela Câmara Municipal de Chaves, cidade ao norte de Portugal. Paulo Pinto concorreu com os 1.665 participantes de 59 países que se inscreveram no concurso.

O fotógrafo está participando com imagem de uma reportagem especial feita na cidade de Franca, no Estado de São Paulo, sobre calçados. Até terça-feira, 5 dos 50 finalistas serão escolhidos pelo júri - eles receberão prêmios que variam de 500 a 5 mil. Os vencedores vão ser anunciados na quarta-feira. O concurso também concede o Prêmio do Público, votado pela internet, no site do evento.

As obras dos 50 finalistas (seus trabalhos podem ser vistos no site do festival), além do trabalho que será premiado pelo público, serão reproduzidas em papel e constituirão uma exposição a ser realizada no Centro Cultural de Chaves. Ao mesmo tempo, as imagens também serão ampliadas e expostas nas ruas e praças do centro histórico da cidade.

 

Comente esta matéria

Estação Pinacoteca

Lg. Gal. Osório, 66
Luz | São Paulo, SP
11 3337.0185

De terça a domingo, das 10h às 18h
Até 12/8

Passagens

Fonte: O Estado de São Paulo

A sala da Estação Pinacoteca tem apenas uma porta de entrada e nenhuma janela descoberta. Mas basta lançar um olhar enviesado para as 28 telas da série Passagens, de Marco Giannotti, que estão expostas ali, para descobrir outras 28 ‘saídas secretas’. É isso mesmo: quando as obras são vistas de canto de olho, é possível perceber ‘frestas’ no meio das pinturas, que não se revelam se olhadas de frente - fruto de uma técnica utilizada pelo artista.

Giannotti, cuja produção é uma das mais coerentes no cenário contemporâneo brasileiro, seguiu ao pé da letra o princípio básico da boa arte - revelar uma ‘passagem’ para algum lugar além do espaço real. O jogo que criou obriga o visitante a fugir da contemplação convencional e descobrir novas maneiras de percorrer a exposição.

 

Comente esta matéria

SESC Santana

Av. Luiz Dumont Villares, 579
Santana | São Paulo, SP
11 6971.8700

De terça a sexta, das 13h às 21h30
Sab. dom. e feriados 10h às 18h30
Até 31/8

Arte Reciclada

Fonte: O Estado de São Paulo

Embalagens de filmes polaróides que iriam para o lixo foram recicladas nas mãos de Antonio Peticov, Cláudio Tozzi, Gregório Gruber e Guto Lacaz (foto), alguns dos 100 artistas convidados por Fernando Durão para a coletiva Pequenas Grandes Obras.Uma interessante variedade de estilos construídos a partir de um único material.

Comente esta matéria

manomovie

SESC Pinheiros

R. Paes Leme, 195
Pinheiros | São Paulo, SP
11 3095.9400

Domingos, 11h e 15h
Até 29/7

Manomovie: o Filmão

Fonte: O Estado de São Paulo | Fernanda Araujo

Um guerreiro medieval precisa salvar uma jovem princesa das garras de um feroz dragão. Já ouviu essa história? Pode até ser que sim, mas não do jeito que ela é contada em Manomovie: o Filmão, que estréia neste domingo (17), no Sesc Pinheiros.

Os personagens da peça não são representados por bonecos e nem por atores. (Não por atores inteiros, pelo menos.) Todos eles são construídos com as mãos, devidamente “vestidas” com roupas em miniatura. Quem “atua” – ou, para dizer melhor, quem executa a técnica batizada de ‘manodramo’ – são os atores-manipuladores Julio Cesar Pompeo e Paula Quintana. Além dos personagens, as mãos também formam elementos do cenário, que é composto ainda por pequenos objetos.

O espetáculo, dirigido por Esteban Quintana, é um trabalho em conjunto das companhias Teatro de La Plaza, de São Paulo, e Los Quintanas, de Buenos Aires. Já foi encenado na Colômbia, Argentina e Bolívia – graças à facilidade de produção, pode ser montado em qualquer palco. Durante os seus 45 minutos, a peça traz referências à linguagem do cinema. Há, por exemplo, o ‘Lola’s New Show’, um programa de TV apresentado por uma perua, que traz cenas de making off de filmagens e uma entrevista com galã Gel Mibson.

 

Para ficar com mais vontade de assistir, que tal dar uma olhadinha neste resumo disponível no Youtube?

Comente esta matéria

Iberê Camargo

Bolsa Iberê Camargo 2007

Informações:
www.iberecamargo.org.br

Inscrições para a Bolsa Iberê Camargo

Fonte: O Globo

Estão abertas, até 3 de agosto, as inscrições para a sétima edição da Bolsa Iberê Camargo, que vai oferecer a dois artistas residência em duas instituições internacionais: no Blanton Museum of Art, da University of Texas, nos Estados Unidos, de 1o de outubro a 30 de novembro; e na Ecole des Beaux Arts de Rennes, na França, de 1o a 30 de novembro.

Os candidatos também podem se inscrever participar do projeto "Artista convidado no ateliê de Iberê Camargo", produzindo gravuras em metal no ateliê do artista, em Porto Alegre, auxiliados pelo artista plástico Eduardo Haesbaert. Eduardo é coordenador do Ateliê de gravura da Fundação e foi gravador de Iberê Camargo nos últimos quatro anos de vida do artista. A bolsa também dará a dez artistas a chance de divulgarem seus trabalhos em reportagens no site da fundação.

Os artistas interessados devem preencher a ficha de inscrição no site www.iberecamargo.org.br e enviar à Fundação Iberê Camargo um projeto a ser desenvolvido na instituição escolhida para residência, além de portfólio e currículo atualizado, com comprovantes de participação em pelo menos três exposições, individuais ou coletivas. Serão priorizados artistas em processo de formação, com pelo menos quatro anos de produção sistemática em arte. Os nomes dos selecionados serão divulgados no dia 17 de agosto.

 

Comente esta matéria

guernica

Reza a lenda...

...que um soldado alemão, tendo visto
essa obra magistral, foi até Picasso e perguntou: "você fez isso?", ao
que o grande gênio das artes teria
respondido: "não, você fez"...

Guernica: 70 anos

Por Almandrade
artista plástico, poeta e arquiteto

 

GUERNICA (1937), mostra um artista inquieto, consciente de sua posição de artista e cidadão, de olho nos acontecimentos políticos e a favor das transformações no campo da arte. Suas incursões no surrealismo, a maneira “metafórica” de tratar o tema nesta pintura, não deixaram de lado a planaridade cubista, é também o momento do artista tomar consciência da dificuldade para realizar um cubismo menos ortodoxo, mais relaxado. Estremecido e fracionado por golpes de uma história que está distante da tela.

Para o respeitado crítico americano Clement Greenberg: “Guernica é a última grande reviravolta decisiva na evolução da arte de Picasso”. Um retrato cubista em preto e branco de uma cena sombria, a pintura lembra uma batalha, construída dentro de uma ilusão mínima de profundidade, quase plana, com um simbolismo difícil de decifrar, particular, que mesmo diante de elementos conhecidos resiste à precisão de uma interpretação. Um olho luz, no alto, se destaca e atrai a atenção do espectador, talvez queira dizer que antes de mais nada, as obras de arte são destinadas ao pensamento do olhar, também pode ser o olho de Deus, vigilante e atento a tudo, ou um símbolo da tecnologia que faz a guerra. Um imaginário ponto de fuga. Ao fazer associações com as imagens dilaceradas, ou melhor, cubistas do quadro com o meio exterior, o espectador tira suas conclusões.

O motivo determinante do cubismo foi dessecar e analisar os objetos para fazer surgir no plano da tela a integridade esquemática da imagem. Na estilização ou nos destroços das imagens do quadro vemos ou imaginamos: rostos, cabeças e braços quebrados, um cavalo apavorado, um touro imóvel, uma casa em chamas, mãe e filho morto, uma espada quebrada e uma flor, angústias e gritos. Imagens sobrepostas e uma desordem geral. Um teatro do caos, a vida massacrada pela tecnologia. Esta foi a forma peculiar de revolta do artista e de retratar a cidade de Guernica após um bombardeio, sem esquecer que a política da arte se processa no interior de sua linguagem. Apesar do sentido político do tema, não é uma obra isolada, mantém uma coerência formal e um compromisso estético com a trajetória do artista e suas experiências racionais e emocionais.

As figuras explicitam muitas interpretações, falam de violência, catástrofe, da desgraça que é uma guerra, essa “obra prima” da civilização. Talvez uma chave para entender o quadro, esteja na resposta de Picasso, a um oficial nazista que lhes fez a pergunta diante da foto do quadro: “Foi você que fez isso?” Picasso respondeu: “Não, vocês o fizeram”. Os entrecruzamentos de linhas, o preto, o branco e cinza fazem desta manifestação pictórica um cenário de angústia e desespero, carregado de tristeza. Essa pintura, além mostrar a reação de Picasso ao bombardeio da antiga capital basca pelos aliados alemães de Franco, em abril de 1937, revela a sua vontade de transformar a linguagem da arte não esgotada com a invenção do cubismo.

 

 

Comente esta matéria

 

Cursos

Oficina Artesanal de Bambu

O curso é direcionado a profissionais das mais diversas áreas como artesãos, arquitetos, designers, professores, trabalhadores rurais e de jardinagem, estudantes (a partir de 15 anos) e a todos que desejam uma atividade ocupacional, seja para a geração de renda ou terapêutica. Constam da programação: reconhecimento e uso da ferramentaria, identificação das espécies, temperamento de fibras, aulas de campo e muito mais.

Informações e inscrições: 14 3813.8553 (Botucatu) | ativarte@yahoo.com.br

 

 

ESPM - Pós-Graduação em Gestão Estratégica de Embalagem

O inovador conteúdo do curso de Pós-Graduação em Gestão Estratégica de Embalagem está abrindo novas perspectivas para a exploração da embalagem em todo o seu potencial. Design, inovação, integração da embalagem com a web e sua utilização como ferramenta de marketing são os pontos centrais do programa. A ESPM está com três turmas em andamento e abriu inscrições para a quarta turma que iniciará as aulas em 6 de agosto de 2007.

Informações: www.espm.br - na seção “Cursos / pós-graduação / São Paulo”